Supremo dobra a aposta e acena a embate com o MPF em meio à pressão no Congresso

0
Brasilia,DF,Brasil 28.11.2018 Ministro Dias Toffoli Sessão plenária do STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF (28/11/2018)

Painel
Instituições em transe A decisão do ministro Dias Toffoli de delegar ao colega Alexandre de Moraes a missão de investigar a disseminação de notícias falsas e ofensas contra integrantes do STF acionou alarmes entre procuradores –categoria que já enfrenta um racha interno. A ordem chega em meio não só à disputa aberta da Lava Jato com a corte, mas também à ofensiva de ala do Senado que quer investigar o Supremo e cobrar o andamento de pedidos de impeachment de membros do tribunal.

Aprendi a lição Os senadores que articulam a chamada CPI da Lava Toga vão buscar ao menos 30 assinaturas de colegas antes de fazer o pedido de instalação da comissão. Eles precisariam só de 27 apoios, mas querem ter gordura para queimar caso alguém desista de endossar o requerimento.

Soma dos fatores O presidente do STF, Dias Toffoli, vinha demonstrando irritação com os ataques de procuradores a ministros nas redes. A gota d’água foi a revelação no Painel de que, nos últimos dias, grupos bolsonaristas elegeram a corte como alvo de fake news, chegando a atrelar o Judiciário ao narcotráfico.

Faço eu Toffoli disse a aliados que decidiu tomar uma atitude após constatar que nem o Ministério Público nem o da Ministério Justiça agiram contra a onda difamatória.

Vai ou racha Ganha corpo no STF a tese de que ou a corte se posiciona de forma incisiva, ou os ataques não vão cessar.

Cartas na mesma A ofensiva do Supremo se dá em momento de forte embate dentro do Ministério Público. As manifestações elogiosas de ao menos três ministros à procuradora-geral, Raquel Dodge, mostra que uma ala da corte escolheu um lado na disputa de poder da Procuradoria.

Não vai restar… A pesada nota da Associação Nacional dos Procuradores contra a ação que Dodge apresentou ao STF para derrubar a fundação de R$ 2,5 bilhões da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba ampliou a divisão no MPF.

… pedra sobre pedra Nas redes internas do MPF, Dodge recebeu críticas, mas também solidariedade. Ala importante viu a nota como prova do engajamento político da ANPR contra a cúpula da Procuradoria.

Folha de São Paulo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here