Ex-PM acusado de matar menina de 9 anos durante abordagem é colocado em liberdade

Aldo Luís Barbosa Dornel ficou preso por mais de 250 dias. Ele foi pronunciado pela morte de Emilly Caetano da Costa depois e deverá ser julgado pelo Tribunal Popular do Júri.

0
121
cxradio.com.br

O ex-policial militar Aldo Luís Barbosa Dornel, acusado de matar a menina Emilly Caetano da Costa, 9 anos, com dois disparos de arma de fogo durante uma abordagem, na Zona Leste de Teresina, em dezembro de 2017, foi colocado em liberdade provisória pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, nesta sexta-feira (21). Na decisão, o magistrado pronunciou o acusado e determinou que ele seja submetido a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri.

O juiz determinou ainda que o acusado cumpra medidas cautelares, como não se ausentar do município em que reside sem autorização, comparecer a todos os atos do processo que for intimado, informar e justificar mensalmente suas atividades, informar sobre eventual mudança de endereço, permanecer em casa no período noturno e nos dias de folga e não se envolver em nenhum outro delito.

Aldo Dornel foi preso em flagrante no dia 26 de dezembro de 2017 e teve sua prisão convertida em preventiva no dia 27 de dezembro do mesmo ano. O Ministério Público manifestou-se de forma contrária à revogação da prisão preventiva, mas o magistrado julgou que o acusado passou mais de 250 dias preso e que não reconheceu motivos para manter sua custódia.

O caso

Emilly foi atingida nas costas por dois tiros feitos por um policial militar, segundo a Polícia Militar do Piauí, durante a madrugada de terça-feira (26), na zona Leste de Teresina. A criança chegou a ser socorrida e encaminhada para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiu e morreu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here