Polícia Federal realiza operação em Piripiri e prende várias pessoas

0
1100
cxradio.com.br

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, (08), a operação denominada “Biditos” com o fim de desarticular organização especializada em fraudes a benefícios assistenciais do INSS concedidos a idosos e deficientes. A operação iniciou-se aproximadamente 8 meses e contou com apoio da gerência executiva do INSS do Piauí. Várias pessoas presas, entre elas, uma servidora do INSS em Piripiri, um empresário, um vereador e um funcionário público do município de Piripiri. A Polícia Federal não divulgou os nomes, todos estão sob sigilo.

Foram cumpridos 10 mandados de prisão preventiva nesta operação, 9 mandados de prisão temporária e 29 mandados de busca e apreensão nos municípios de Piripiri, Parnaíba, Brasileira, Cocal, Barras, Tianguá (Ceará), Tutóia (Maranhão) e Paraíso do Tocantins (Tocantins), todos expedidos 3ª terceira vara da Justiça Federal, em Teresina, cuja a deflagração contou com a mobilização e 145 policiais federais dos Estados do Piauí Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba e Tocantins.

A deflagração contou ainda com apoio do Segundo Batalhão da Polícia Militar em Parnaíba Piauí.

Segundo a Polícia Federal, identificou-se na investigação que a organização recebia mensalmente cerca de 320 benefícios assistenciais fraudulentos e adotava como o modo de agir a criação de pessoas fictícias por meio de falsificação de documentos públicos, tais como certidões nascimento, carteiras de identidade, CPF, entre outros que eram utilizados como para a obtenção dos benefícios em diversas agências do INSS no Piauí e Ceará.

Esses benefícios com indícios de fraude causaram prejuízo efetivo ao INSS no montante de R$ 27.669.685,27. A Polícia Federal já determinou a suspensão de tais benefícios como medida de evitar a um prejuízo mensal ao INSS de R$ 305.280,00 e um prejuízo o futuro estimado superior em 19 milhões de reais.

Os investigados deverão responder pelos crimes de associação criminosa (artigo 288 do CPB), estelionato qualificado (artigo 171 parágrafo 3º do CPB), falsidade ideológica (artigo 299 do CPB) e uso de documento falso (artigo 304 do CPB).

A justiça federal também determinou o bloqueio de contas bancárias dos presos e a suspensão do exercício da função pública para a servidora do INSS e para o servidor da Prefeitura de Piripiri.

Após a lavratura dos procedimentos legais na Superintendência da Polícia Federal os presos serão encaminhados ao sistema prisional onde ficaram custodiados à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here