Policial Militar é morto com um tiro no peito durante assalto no Piauí

0
315

Um policial militar, identificado como Gilson Luiz de Araújo, 32 anos, foi morto na noite dessa quarta-feira (31) vítima de um tiro, no loteamento Conviver, no município de Corrente.

Segundo informações do major Hortêncio, comandante do 7º Batalhão de Polícia Militar, o soldado se encontrava próximo a uma praça do loteamento quando dois elementos chegaram e anunciaram o assalto. “Ele tentou reagir e levou um tiro no peito, que acabou pegando também parte da mão esquerda. Nós recebemos a informação no Copom e nos dirigimos imediatamente para o local e quando chegamos lá ele ainda estava com vida. Nós o levamos para o hospital, mas já não foi possível salvá-lo”, relatou.

As diligências iniciaram imediatamente e logo a PM recebeu uma ligação, informando que um suspeito, de nome Micael, morador do bairro Morro do Pequi, teria chega na sua residência bastante alterado. “Nós nos dirigimos ao local e conseguimos cercar a casa, prendemos o elemento e encontramos a arma do crime. Acuado, o sujeito acabou não só confessando, mas também identificando o seu comparsa, conhecido como Maicon, morador do bairro Vila Nova. Igualmente fizemos o cerco à casa e prendemos o elemento e os trouxemos para a delegacia para que fossem autuados em flagrante por latrocínio”, comentou o major.

O delegado Saulo Yure de Oliveira, que acompanhou o médico-perito, informou que o policial militar recebeu um tiro de um revólver 12 na altura do peito, o que o deixou com várias perfurações. A mão esquerda ficou dilacerada e a mão direita também tinha vestígios do tiro.

De acordo com policiais colegas de trabalho da vítima, Gilson Luiz de Araújo era casado e tinha dois filhos pequenos. Natural da Bahia, ele passou no concurso da Polícia Militar do Estado do Piauí e assumiu no ano de 2015, quando mudou-se para Corrente.

A morte do policial gerou uma grande comoção na corporação, que compareceu em grande número no Hospital Regional de Corrente. Muito querido pelos colegas, Gilson atuava na Força Tática, tendo também participado das atividades do Pelotão Mirim.

Seu corpo permanecerá no 7º Batalhão de Polícia Militar de Corrente até a manhã dessa quinta-feira (1º/10), de onde será escoltado para o município de Ibititá, estado da Bahia, para sepultamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here