Preso em Piripiri acusado de matar estudante em Teresina nos jogos da Copa

O estudante Juan Pedreira foi morto, durante a comemoração dos jogos da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, no bairro conjunto Saci, na zona sul de Teresina.

0
16
cxradio.com.br

Os policiais do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam no final de semana, através da Polícia Rodoviária Federal, um homem identificado como Erlândio Miranda Coelho, acusado de assassinar o estudante de engenharia da UFPI, Ruan Pedreira Silva, durante a comemoração dos jogos da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, no bairro conjunto Saci, na zona sul de Teresina.

De acordo com o diretor do DHPP, delegado Francisco Costa, o Barêtta, os agentes da PRF realizavam uma blitz na cidade de Piripiri, quando fizeram a abordagem a Erlândio, que é natural da Bahia. Ao buscar informações sobre a identidade, constatou-se que ele apresentava documentação falsa, o que chamou a atenção dos policiais que, em seguida, descobriram que se tratava de um homem foragido da Justiça.

“Ele foi abordado por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal na BR 343, na altura de Piripiri, e estava portando documento falso. A expertise do patrulheiro foi muito importante, porque o acusado foi autuado em flagrante por uso de documento falso. O nosso serviço de inteligência já estava investigando ele, mas por roubo e explosão de caixa eletrônico. Então ele foi levado para a Penitenciária Mista de Parnaíba. Uma equipe nossa foi para lá, com o delegado Danúbio. Ele foi interrogado e colhemos as digitais, mas ele se negou a falar”, disse o delegado.

Barêtta afirmou que Erlândio queria assassinar o segurança de uma festa, mas acabou acertando um disparo de arma de fogo em Ruan. “O que houve é que esse Erlândio, chegou nesse bar no bairro Saci e tentou adentrar com a namorada com bebida alcoólica no local. Lá ele foi impedido pelos seguranças, chegou a jogar um copo no rosto do segurança, mas foi colocado pra fora. Ele voltou para a sua casa e pegou uma pistola, voltou ao local e começou a fazer disparos contra o segurança. Teve uma correria e um desses disparos atingiu a cabeça do Ruan. Aí temos um típico caso de erro de execução”, explicou. O DHPP já solicitou que a prisão temporária seja convertida em preventiva.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here